Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Para mais informações clique aqui.

Colégio | Quem somos

HISTÓRIA DO COLÉGIO MARISTA DE CARCAVELOS

Os Irmãos Maristas fundaram em Portugal a sua primeira Escola em Outubro de 1947, na Rua da Estrela, em Lisboa, denominada primeiramente Colégio Champagnat, e mais tarde Externato Champagnat. 
Começou apenas com cerca de 30 alunos e três anos mais tarde contava já duas centenas. 
Em 1950 abriram um Internato na Quinta de Vila Formosa, junto ao Aeroporto, a que chamaram Colégio Champagnat, com uma dúzia de alunos internos e 10 externos. 
No ano seguinte já eram 50, e ao fim de 3 anos atingiram o máximo que as instalações permitiam, 83 alunos, tendo sido obrigados a recusar 125 por falta de espaço. 
Hoje essa Escola mantém o nome, não sendo administrada pela Congregação dos Irmãos Maristas. Por volta de 1960, as instalações tornam-se exíguas, o que levou à procura de um espaço mais adequado que satisfizesse as exigências pedagógicas e vivenciais dos estudantes.  
O projecto de uma Escola com melhores condições viria a concretizar-se num lugar privilegiado da linha do Estoril, em Carcavelos.  A opção pelo local,  por circunstâncias quase fortuitas,  não foi alheia certamente a procura que então havia por internatos em zonas que atravessavam um aumento demográfico apreciável. A concretização do projecto foi graças a entidades privadas e públicas que reconheceram a utilidade de uma Escola Marista nesta zona.  O lugar onde a Escola se implementou apresentava características rurais, quintas que seriam progressivamente invadidas por uma crescente urbanização. Esta urbanização resultava de três factores fundamentais: o aumento demográfico, que se verificava  a nível nacional; a deslocação de um número cada vez maior de pessoas da cidade para a periferia em busca, não só de um ambiente qualitativamente mais satisfatório, como pelo uso generalizado do automóvel; e ainda pelo significativo êxodo rural provocado pela crescente industrialização do litoral a norte do Sado e particularmente da zona de Lisboa. 
A 8 de Outubro de 1965 concretiza-se o projecto. O Colégio Marista de Carcavelos torna-se uma realidade. 
Nos três primeiros anos, o Ministério da Educação (M.E.N.) autoriza o funcionamento do Colégio a título provisório. Em 23 de Outubro de 1969,  pelo despacho ministerial nº 1901, foi concedido o Alvará à Congregação Marista para o funcionamento de um estabelecimento de ensino particular, denominado Colégio Marista de Carcavelos, com lotação máxima de 768 alunos, dos quais 240 poderiam ser internos. Actualmente o colégio funciona em regime de paralelismo pedagógico.
Durante os primeiros anos acolheu somente alunos do sexo masculino. Foi no ano lectivo de 1971/72 que o colégio abriu as suas portas ao sexo feminino. 
A escassez de escolas públicas na zona, na explosão de acesso à educação que se acentuou com o 25 de Abril, conduziu à celebração de um acordo de cedência de cerca de dois terços das instalações do colégio para a nascente Escola Secundária de Carcavelos. Esta situação durou de 1978 a 1986. A recuperação total das instalações criou condições físicas para um crescimento acentuado dos alunos. Rapidamente ultrapassou a barreira dos mil alunos até atingir actualmente mais de mil e seiscentos.

Missão, Visão e Valores

"Tudo a Jesus por Maria, tudo a Maria para Jesus"
 
O Colégio Marista de Carcavelos participa na missão docente da Igreja Católica e faz do Evangelho e da vivência Marial, as fontes dinamizadoras da sua acção educativa e do seu apostolado.
A nossa missão é educar crianças e jovens, segundo a óptica do nosso fundador, S. Marcelino Champagnat, tornar Jesus Cristo conhecido e amado, formar «bons cristãos e virtuosos cidadãos».
É este o grande farol que ilumina e dirige toda a caminhada de uma Escola Marista, voltada para a Educação Integral e sólido Ensino de Qualidade. Orientamo-nos para uma pedagogia integrada em que fé, cultura e vida se harmonizam, segundo quatro linhas fundamentais:
 
1. O processo educativo Marista é iluminado pela Fé. Os educadores devem ser “apóstolos da juventude”, evangelizando pelo testemunho das suas vidas. A Virgem Santíssima Maria, carinhosamente chamada de Boa Mãe, é modelo de educadora, tal como o foi para o Santo fundador, pela disponibilidade, ternura e abnegação. A simplicidade, a humildade, a autenticidade, o amor ao trabalho, o espírito de família, valores que Maria viveu, sendo mãe de Jesus, são valores que os jovens Maristas devem viver com convicção e fé, por oposição ao individualismo, à prevalência do ter sobre o ser e do levar vantagem sobre tudo e todos.
 
2. A educação deverá conciliar a informação com a formação. Orientar o aluno para a descoberta e o incremento dos valores humanos, o respeito pela dignidade da pessoa humana e a educação dos valores afectivos, o companheirismo, a amizade, a solidariedade, o amor, a fidelidade, etc.
 
3. Na actividade educativa, o aluno é o principal protagonista da sua própria educação. É responsabilizado, como pessoa, para responder positivamente às influências do meio em que vive, proporcionando-lhe os meios necessários e adequados para a sua educação integral, em constante colaboração com a família.
 
4. A finalidade do nosso Projecto Educativo Marista é ajudar o aluno a integrar-se plenamente na sociedade.

Estilo Educativo

Para educar é preciso amar
 
O nosso estilo educativo fundamenta-se numa visão verdadeiramente integral da educação: procura conscientemente comunicar valores.
Utilizamos uma metodologia pedagógica peculiar que Marcelino Champagnat e os primeiros Maristas iniciaram e que foi inovadora sob muitos aspetos.
Damo-nos conta que, para bem educar as crianças e os jovens, é preciso amá-los, e amá-los por igual. Segundo este princípio, as características peculiares do nosso estilo educativo são a presença, a simplicidade, o espírito de família, o amor ao trabalho e o ter Maria como modelo.
 
Educamos, sobretudo, pela presença junto dos jovens, demonstrando que nos preocupamos por eles pessoalmente. Para além da nossa dedicação profissional, oferecemos-lhes também o nosso tempo. Estabelecemos com eles uma relação baseada na afeição que propicia um clima favorável à aprendizagem, à educação para os valores e ao amadurecimento pessoal.
A nossa simplicidade manifesta-se no trato com os jovens, através de uma relação autêntica. Tal simplicidade é fruto da unidade entre pensamento e coração, caráter e ação, e deriva do facto de procurarmos ser sinceros connosco mesmos e com Deus.
 
O grande desejo e a herança do padre Champagnat é que nos relacionemos uns com os outros e com os jovens como membros de uma família em que todos se amam.
 
Através de uma pedagogia do esforço, procuramos que os jovens adquiram um caráter e uma vontade firmes, uma consciência moral equilibrada e valores sólidos em que se fundamente a sua vida. Apostamos na motivação e no projeto pessoal. Promovemos o trabalho em equipa e ajudamos os jovens a adquirir um espírito de cooperação e sensibilidade social para servirem os que têm mais necessidade.
 
Maria é o modelo perfeito do educador marista, como o foi para Marcelino. Maria, mulher leiga, primeira discípula de Jesus, orienta o nosso caminho na fé. Como educadora de Jesus de Nazaré, inspira o nosso estilo educativo.

Hino

 


 

 

LETRA DO HINO DO COLÉGIO MARISTA DE CARCAVELOS

  LETRA
Prof.ª Maria do Anjo e Ir. António Leal

NOSSO COLÉGIO TEM HISTÓRIA

DE PRESTÍGIO E TRADIÇÃO

NÃO FICAMOS P´LA MEMÓRIA

QUEREMOS SEMPRE INOVAÇÃO

 

TRABALHAR COM DEDICAÇÃO

E HUMILDADE TAMBÉM

É ESTA A GRANDE LIÇÃO

DE MARIA A BOA MÃE

 

SOMOS MARISTAS

DE CARCAVELOS

A NOSSA MÃE É MARIA

 

SOMOS MARISTAS

DE CARCAVELOS

CHAMPAGNAT O NOSSO GUIA

CHAMPAGNAT O NOSSO GUIA

 

SER BONS CRISTÃOS E CIDADÃOS

É UM PROJETO MARISTA

VIVERMOS TODOS

COMO IRMÃOS

NUM MUNDO NOVO QUE SE AVISTA

 

SOMOS MARISTAS

DE CARCAVELOS

A NOSSA MÃE É MARIA

 

SOMOS MARISTAS

DE CARCAVELOS

CHAMPAGNAT O NOSSO GUIA

CHAMPAGNAT O NOSSO GUIA

 

(BIS)

  MÚSICA João Mota Oliveira
ORQUESTRAÇÃO Helder Godinho
GRAVADO POR: http://www.clavedesoft.pt/
GRAVARAM O HINO
Prof.ª Marta Paulo
Ana Cláudia Barros
Ana Filipa Costa
Filipa Carvalho
Filipa Lopes
Isabel Sousa
Joana Coelho
Joana Gonçalves
Margarida Calado
Sofia Contrim

More text goes here.

PERFIL DO ALUNO MARISTA

 Os Colégios Maristas pretendem ser referências no seu meio envolvente pela vitalidade evangelizadora e por serem comunidades vivas que apostam no compromisso social, na qualidade pedagógica, no cultivo da espiritualidade e na decidida defesa e proteção da infância.

Deste modo, ao longo da sua vivência na Escola Marista, pretende-se que o aluno adquira e desenvolva competências que lhe permitam:

 

- Cultivar o desenvolvimento integral da sua personalidade;

- Assumir o papel de protagonista na aquisição do seu próprio conhecimento e na construção do seu projeto de vida;

- Dotar-se de estabilidade física e psíquica;

- Perspetivar a sua própria aprendizagem como forma de proposta e ultrapassagem de desafios;

- Desenvolver a sua aprendizagem num ambiente de cooperação e de interdependência;

- Realizar investigação nas diferentes áreas do saber;

- Promover uma cultura de empreendedorismo em harmonia com uma consciência ética;

- Abrir-se à contemplação da beleza presente na natureza e na criação artística;

- Concretizar os valores da simplicidade, da humildade, da modéstia, do trabalho e do espírito de família;

- Cultivar uma espiritualidade verdadeiramente integradora das dimensões ética, estética e religiosa;

- Abrir-se ao sentido pleno da transcendência;

-Desenvolver uma autonomia crítica, solidária e comprometida com a transformação da sociedade;

- Aprofundar o espírito de iniciativa em atividades de compromisso com a comunidade;

- Pôr ao serviço da comunidade o saber que vai adquirindo;

-Adquirir uma consciência ecológica que o comprometa com o cuidado da nossa casa comum;

- Adquirir ferramentas multilinguísticas que lhe permitam uma relação dialógica e intercultural;

- Participar em iniciativas promotoras do diálogo intercultural e inter-religioso;

- Dominar as tecnologias de informação e de comunicação;

- Desenvolver uma consciência crítica relativamente à diversidade comunicacional que o rodeia;

-Participar em atividades físicas, desportivas e culturais;

- Desenvolver o conhecimento criativo, convocando conhecimentos de diferentes áreas do saber que lhe permitam aplicar novas ideias e soluções a diferentes contextos.

Facebook Linkedin Twitter Google + Pinterest
Gestão de Ensino: E-Schooling Server ePass Moodle Intranet Webmail Secretaria Virtual